Las

Escolhendo a cor do muro e da fachada da casa

30/09/2019

As cores para fachadas surpreendem pela vivacidade e diversificação. Tão importante quanto pintar seu imóvel com cores certas e que alcancem ótima durabilidade, é também usar bons critérios para colorir.

 

Primeira Dica:  Olhe para fora de casa!

Como são as casas em volta? Elas seguem o mesmo estilo ou todas tem estilo diferente? Você quer que a sua se destaque de forma contrastante ou que seja harmônica? Isso pode lhe ajudar a definir um caminho inicial e até dar alguma inspiração!

Segunda Dica: Olha a sua casa por fora! 

Uma casa tem janelas, portas, telhado, piso; Pode ter plantas e revestimentos. Tudo isso deve ser considerado na escolha das cores para que o conjunto seja harmônico e a casa o mais bonita possível. Os elementos podem ser realçados ou escondidos usando a pintura.

Dicas: 

-Cores sóbrias, neutras, atemporais e atuais, se mantem muito tempo.

-Com cores vivas e fortes, principalmente se morar em locais com muito sol, prepare-se para ter que repintar com maior frequência ,elas desbotam com  o tempo. Compre as melhores marcas para durar mais.

-Pense em contrastes: Se há revestimentos escuros no piso, tente cores claras nas janelas e portões e vice-versa.

-Teste tons diferentes de uma mesma cor: Em geral funcionam muito bem.

-Cores diferentes para muro e portão são mais agradáveis e bonitos em geral.

 

TAGS: paredes; fachadas; corparafachada; fachada; cor; tinta; tintaparafachadas;

Facebook Facebook Facebook
Las

Novidades da Euroluce, feira de Milão

13/06/2019

A Euroluce é a Exposição Internacional de Iluminação, funciona ao mesmo tempo do Salone del Mobile Milano. A feira ocorre na cidade italiana a cada 2 anos. O evento nasceu em 1961 com o fim de promover a exportação italiana de móveis e complementos, compromisso que foi alcançado mediante a divulgação da qualidade dos móveis italianos pelo mundo, e hoje, reúne grandes nomes internacionais do setor e uma enorme variedade de produtos e profissionais do mundo inteiro.

Cerca de 2500 expositores, em uma área de exposição de mais de 270 mil metros quadrados apresentaram suas novidades a mais de 370 mil visitantes de 165 países que estiveram lá em busca das principais tendências.

Confira com a gente um pouco do que rolou para você ficar antenado e conhecer as principais tendências e o que há de mais atual no segmento para você se inspirar e entender os diferentes itens de iluminação e seus desempenhos, além de te ajudar a descobrir o seu estilo para você arrasar na decoração! Assim como nós, você vai se apaixonar!

Novidades

Lustres: clássicos ou contemporâneos, os lustres são peças que valorizam o ambiente. Apesar de iluminar, sua função fundamental é decorar, devido ao efeito visual de sofisticação que ele proporciona.

Contando um pouquinho de sua história, os lustres surgiram no final do século XVII, um item majestoso e símbolo de luxo e riqueza, onde só os reis e nobres os possuíam. Fabricados artesanalmente a pedidos especiais, os objetos tinham a função de iluminar as enormes mesas de refeições e jantares dados pelos mais afortunados e sua iluminação era composta por diversas velas. Ainda hoje continua sendo um símbolo de status e bom gosto. São indicados para salas de jantar e estar, locais com pé direito duplo, além de quartos, hall, etc.

Considerados um dos elementos de iluminação mais impactantes, a feira apresentou uma mistura de conceitos contemporâneo, onde a tendência é certamente a ousadia e leveza do aço. Compondo diferentes formas, orgânicas e curvilíneas, os aços dourados e acobreados predominaram, além de muitos cristais e pontos de luz.

Pendentes

As luminárias pendentes também são decorativas, mas, diferentes dos lustres, são peças sem ramificações (braços), descem do teto por fios elétricos e, em certos casos, através de cabos de aço pendurados no teto, o que torna a iluminação mais funcional e focada, sendo ideais para iluminação de bancadas, mesas de refeições e de trabalho, mezaninos e pé-direito-duplo, laterais de cama, podendo inclusive substituir os lustres, criando um conceito mais jovial e contemporâneo. Elas também podem ser bem impactantes e protagonistas do ambiente. Esses modelos foram alvo de muitas fotos e contemplações devido a sua criatividade poética e originalidade na composição dos materiais e em suas formas orgânicas, criando movimento e leveza.

Divertidas

 Além de charmosas, esses modelos apresentam um estilo minimalista e descontraído. Por serem compostas de vidro e cabos de aço, o resultado é leve e criativo, além de ter com um valor mais acessível. Como já dizia o arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe: “Menos é mais”.

Arandelas

 Luminárias do tipo arandela são aquelas fixadas à parede, além de muito funcionais do ponto de vista luminotécnico, também podem ser peças decorativas e que oferecem uma luz difusa, sem agredir os olhos. São indicadas em locais onde a luz não é a protagonista, portanto, funcionam em ambientes que precisam ser iluminados de forma leve e despretensiosa, como fachadas, corredores, banheiros, varandas e dormitórios. Para a maioria dos casos, a altura ideal de uma arandela é entre 2,00 e 2,20 m para casas com pé-direito normal (entre 2,50 e 2,70 m). Essa regra também vale para banheiros e lavabos, onde existem espelhos. Já em dormitórios, arandelas são usadas como luz de cabeceira e devem ser fixadas a 1,00 ou 1,10 m de altura, sobre criados-mudos. Lembrando que cada caso exige um projeto diferente, variando de acordo com a altura dos moradores e seus objetos. Existem diferentes formas para você se divertir e ousar, apresentando modelos retráteis, onde através de braços, podem alcançar certas distâncias. Há também as coloridas, para ambientes e clientes mais descontraídos. Com cúpulas, imitando abajures ou de metais. Formatos que lembram flautas , tubes e espirais, tem para todos os gostos!

 

 

TAGS: decor; decoraçao; decoracaodeinteriores; iluminacao; lustre; luminarias; pendentes; plafons;

Facebook Facebook Facebook
Las

Dicas de iluminação para jardins e áreas externas

04/09/2018

As luzes externas devem cumprir sua função fundamental iluminar um ambiente, mas ainda estilizar e incrementar a decoração de jardins, corredores, garagens e fachadas no geral.

A iluminação externa vai demandar diferentes resultados das luzes que na interna. O posicionamento e a proteção das luzes são mais importantes nestes ambientes para prevenirem brilhos intensos que geram clarão.

O clarão ocorre através de fontes de luz de tamanhos grandes ou de forte intensidade. Sua ação é totalmente desconfortável e tende a “cegar” quem tem contato com ele, já que reflete diretamente nos olhos humanos.

O investimento em iluminação no ambiente exterior de uma casa poderá ser de menor tamanho que no interior. Isso é justificado pelo fato de nossos olhos precisarem de menos luminosidade em locais abertos para enxergar a luz às sombras e os padrões que em locais fechados.

A iluminação exterior deve ser sensível ao dirigir luz indireta. Esse tipo de luz vai iluminar as superfícies circundadas por ela de forma sutil. A luz direta irá se redirecionar ao objeto ao qual está dirigida e iluminará um pouco do que está em volta.

Posicionamento da iluminação

Para planejar o esquema de iluminação de jardins e áreas externas é fundamental que você mesmo dê uma volta pelo local durante a noite. A partir disso se poderá notar quais pontos pedem a presença de luz e também poderá prever como e quando você quer usar esses espaços.

Corredores e trajetos: são locais que precisam ser bem iluminados de forma acolhedora e segura. Entretanto, não é necessária uma intensa iluminação.

Entradas: uma sugestão é inserir pontos de luz nas duas faces de portas (frente e trás) e também em suas laterais.

Entrada para carros e garagens: uma ótima opção são luzes de baixa voltagem para tais ambientes.

Escadas e degraus: estes espaços devem ser iluminados para segurança, assim como os corredores citados anteriormente.

Decks e quintais: a iluminação pode focar em locais específicas de tarefas, como áreas para cozinhar, áreas de estar e em grades. A iluminação voltada para cima pode ser usada para iluminar o ambiente indiretamente

Jardins: iluminar as plantas traz um grande diferencial para um jardim. Tente criar um jogo de luz e sombras entre os elementos, que irá renovar a atmosfera do ambiente, resultando em silhuetas projetadas em outros materiais. Use preferencialmente lâmpadas de baixa tensão.

Piscina e água: a iluminação da piscina é quase que obrigatória. Um tipo de iluminação utilizada são os projetores localizados externamente, que oferecem segurança por não haver condução de energia na água. Há também na própria piscina a iluminação de função apenas decorativa, como fibra ótica e LEDs que podem mudar de cor, e spots para iluminar internamente. A iluminação para cima e para baixo através da água corrente produz um efeito fascinante..

 

 

 

TAGS: ;

Facebook Facebook Facebook
Las

juliane cardoso

Juliane Cardoso - Suelen Serafim

Projetos criativos ambientes planejados para refletir a alma de seus moradores. 

...

SulpisoKasar

Facebook

InatecGabriel Construções
EleganzaVitrolAmbience DecorAmbience DecorAmor e CarinhoPonto das TintasPonto das tintasVidraçaria Decor GlassFibra SulMorro Estevão Plantas OrnamentaisMarquesa HomeEkcel PiscinasQuinto ElementoEvisa
Juliane Cardoso 2014 © Todos os direitos reservados